“Bullying com depressivo? Isso é coisa da sua cabeça!”

Contar que você já teve ou tem depressão é como ser ex presidiário. É como se você assinasse um atestado de incapacidade para o resto da vida. É como se alguém tivesse tatuado uma piroca no seu rosto sem você saber. Todo mundo te olha diferente. 

Nunca vi ninguém falando sobre isso. Sobre ter depressão, ansiedade? Já. Tem gente até que ganha dinheiro só falando sobre isso. Mas sobre sofrer bullying por ter depressão, nunca li algo sobre. “Ah, bullying sobre depressão não existe, isso é invenção da sua cabeça”. Viu? 

Quando você “sai do armário” dos psicotrópicos e decide contar pra todo mundo que, ao invés de só usar a bandeira do arco íris, você também usa a bandeira da tarja preta, tudo muda. O jeito das pessoas ao lidar com você muda. Você não escreve seu nome com coco na parede, não come lagartixas, não dá três passos e roda duas vezes e segue andando. Mas para as pessoas, você é maluco. 

Eu, por exemplo, adoro drama. Não na vida, mas no cinema. Gosto, desde de antes da minha primeira visita ao psiquiatra. Mas depois que contei para o mundo dos desvios químicos do meu cérebro, meu gênero preferido de filmes virou “Sandro só gosta de ver filmes de chorar, filmes depressivos…”. Uma vez, a coordenadora da empresa que eu trabalhava disse que eu tinha “tendência a ficar triste e reclamar, porque eu tinha depressão…”, simplesmente porque reclamei que meu salário veio faltando uma parte devida. 

Pessoas “normais” bebem e são legais. Pessoas depressivas bebem porque têm depressão. Pessoas “normais” trocam a batata e o refrigerante no McDonalds pelo tamanho maior e são engraçadas. Pessoas depressivas estão comendo por ansiedade. Pessoas “normais” assistem a Titanic e choram quando o Jack morre. Pessoas depressivas “Alá, tadinho, chorando… é a doença…”. 

Se você chorar porque viu a notícia de um menino de quatro anos que foi baleado na cabeça dentro de casa, “talvez você devesse procurar outro médico porque esse remédio não tá bom…” 

Quem mais ganha com isso são os filhos da puta. Eles vão te sacanear, mas não fizeram ou falaram nada. “Você é sensível demais, isso é coisa da sua cabeça”. 

O pior é ver pessoas que deveriam fazer tratamento e não fazem tratamento te julgando por você fazer tratamento. 

Aí sabe o que acontece? O que acontece com qualquer bullying. Você vai se afastando, vai se isolando. O pior é quando você mesmo começa a duvidar de suas decisões. “Será que devo ficar chateado mesmo porque deram na minha cara ou devo achar normal ter apanhado? Será que é a depressão?”. 

Como esse texto. Será que devo escrever sobre isso ou é uma besteira? Devo publicar ou não? Será que as pessoas vão entender e parar de fazer isso? Ah, isso tenho certeza que não. 

Sim, sou maluco. E sou normal.

 

Um comentário para “Bullying com depressivo? Isso é coisa da sua cabeça!”

  • Ana Carolina  Diga:

    Que forte e verdadeiro esse texto meu querido. Senti muito assim também na época que passei pela depressão!!! Sou sua fã… Amo todos os seus textos… Ano você… Bjo

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>